sexo pela floresta

Fuck for Forest

Como salvar as florestas tropicais fazendo sexo?

Nossos parceiros do Camerahot, o maior site de exibicionismo online, já fizeram uma postagem sobre as sextapes, consideradas a nova moda do século XXI.

“Nada mais óbvio que com a tecnologia e a liberdade sexual, muita coisa mudou no comportamento e intimidade das pessoas, mais especificamente, casais. Com seu lado positivo e negativo que, infelizmente, também existe, não podemos dizer que as pessoas ficaram mais safadas, mas sim que passaram a admitir sem qualquer problema o gosto pelo sexo e seus derivados, assumindo fantasias; opções que antes, talvez, pudessem ser chocantes para a sociedade.

        Com a vida online e essa liberdade dada, criaram-se mecanismos para suprir toda a demanda sexual da sociedade, seja através de sites, Chat Online com Webcam ou aplicativos para celular. Dessa facilidade, tira-se proveito quem se interessa e, claro, sabe fazer com bom senso.

Virou febre e todos sabem. A moda de gravar o próprio sexo com o parceiro (a), ou então fazer vídeos gravando a si mesmo de modo provocativo, insinuando-se em poses e poucas roupas, entrou em pauta e nunca mais saiu.”

Diante desse amadorismo na indústria pornô das sextapes e do grande público que isso elencou, inevitavelmente, surgiram diversos projetos que procuram unir, digamos assim, o útil ao agradável.

Esse é o caso do Fuck for Forest, ou FFF.

eco porno sexo pela floresta

Criada pelos neo-hippies Leona Johansson e Tommy Hol Ellingsen, da Noruega, a Fuck for Forest é uma organização ambientalista que surgiu com uma única função: salvar a natureza mostrando a beleza do amor, da nudez e de reais aventuras sexuais através de vídeos e fotografia.

Agora, você me pergunta, mas o que salvar a natureza tem a ver com isso?

Todo o dinheiro recebido dos clientes que compram os DVD’S de sexo, caseiros e gravados pelos participantes, ou assinam o material pelo site  é redirecionado pela ONG para salvar as florestas tropicais no Brasil, Equador, Costa Rica e Eslováquia.

Os criadores afirmam: o FFF nada mais é que um ativismo erótico.

Depois de dez anos de projeto, os idealizadores estão orgulhosos. Além de já serem conhecidos em quase todo mundo, afinal, por mais estranho que pareça, por que não é legal? É só sexo e preservação ambientar, já são mais de 1300 pessoas que contribuem com o FFF, seja comprando o material oferecido e também enviando seu próprio material.

Sim, a ONG não funciona somente como uma produção pornô em prol das florestas. Você pode se cadastrar no site e enviar seus vídeos caseiros e/ou fotografias eróticas, as quais serão disponibilizadas aos usuários por um valor fixo. Esse dinheiro, como já explicado antes, irá diretamente para projetos de recuperação das matas.

No site você pode conferir diversos projetos que a ONG buscou dinheiro para contribuição e participou. Um deles, a exemplo, em 2009 e aqui no Brasil, que diz respeito a uma doação para que uma comunidade indígena na Amazônia não perdesse suas terras para ruralistas.

Além disso, tudo, toda a boa ação atrás do sexo, a ONG ainda incentiva produções caseiras de filmes, assim como produções que fogem um pouco do padrão da indústria pornô com ambientes bem mais abertos; matas, selvas.

Ao clássico estilo hippie, viva o amor e a natureza.

Achou interessante a ideia? Então por que não entrar no site e saber mais dessa proposta? Se você tem vontade de participar de algo bacana que envolva, bem, sexo e natureza, sinta-se a vontade, temos certeza que algum bem você estará fazendo, tanto para você quanto para a natureza.

Uma ideia sobre “Fuck for Forest”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *