Uma gostosa foda na BR

A sapeca Cacau nos traz dessa vez um conto (autobiográfico?) de uma foda na BR que nunca mais saiu de sua memória…

Estava lembrando da época que eu ainda tinha paciência para relacionamentos duradouros e percebi que apesar de muitos não terem servido de absolutamente nada, o sexo sempre me segurava neles.

Como eu sempre fui bem safada, sempre adorei uma putaria, gostava de esgotar meus relacionamentos na foda. Me cansava do namorado primeiro, da rotina, de me fazer de boa moça pra família dos caras. Mas eu só terminava depois de gastar na fodeção com os garotos.

Um deles até era bastante criativo, igualzinho a mim, que invento muita loucura pra não ficar naquela fodinha sem graça que cai na mesmice.

Certa vez eu pirei que queria foder até gozar dentro de um carro, mas que fosse num lugar realmente movimentado e com risco de sermos pegos. Daí lá fui eu sugerir essa maluquice pra ele.

Fomos pra uma rodovia na saída da minha cidade onde tem uma patrulha da Polícia Rodoviária que praticamente faz uma viagenzinha de ronda a cada 30 minutos. E era esse o tempo que teríamos pra fodermos gostoso até, pelo menos, eu gozar, né?

Proposta lançada para a nossa foda na BR e o meu namoradinho parceiro de safadeza aceitou logo de cara. Um tarado igual a mim mesmo 🙂

Entramos na rodovia e fomos bem devagar, no limite mínimo que podíamos, pra que a polícia ultrapasse a gente logo, até porque com essa adrenalina eu já estava com o clitóris todo inchadinho. E meu namorado com o pau duríssimo porque obviamente não perdi tempo e fui punhetando o gostoso o caminho inteirinho.

hora da foda na br

Polícia ultrapassou a gente e eu já estava sem calcinha com minha buceta molhando o banco de tanto que eu escorria. Estacionamos no acostamento, puxei a mão desse meu ex e soquei o dedo dele bem fundo na minha buceta enquanto eu chupava bem de leve a cabecinha da piroca dele.

Não aguentei muito ficar nas preliminares porque estava com a bucetinha latejando. Montei no colo dele tirando e colocando aquele pau duríssimo bem devagar da minha buceta. Gemíamos ofegantes juntos, mas ele gemia muito mais forte quando conseguia meter no meu rabinho e eu rebolava pra sentir a piroca dele tomando conta de mim por dentro.

Claro que gozamos loucamente como animais, se apertando, arranhando e puxando cabelos. E claro que a polícia não flagrou nada. Isso realmente aumenta deliciosamente a adrenalina…

Depois desse dia terminei meu namoro com esse safado. Terminei no auge, né? 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *