Sexo online por acaso

        Sempre tive medo de mandar nudes, afinal, não queria que caísse na rede como muitas fotos caem e são compartilhadas diariamente por pessoas através das redes sociais.Quem diria então imaginar que um dia pudesse fazer sexo online, isso para mim era praticamente impossível e inviável, perigoso, mais arriscado ainda…

Certo dia, eu estava em casa bem tranquila e havia aberto uma sala de bate-papo pela webcam com meus amigos, diga-se de passagem que a maioria deles eram homens. Nós conversávamos sobre vários assuntos e, como de costume, falávamos muita bobeira, a putaria rolando solta.

Foi quando minha campainha tocou e fui logo atender. Era nada mais nada menos que meu namorado, o amor da minha vida, o cara com quem quero me casar e constituir uma linda família.

Ele estava com um fogo que ao me cumprimentar já foi me agarrando, me dando uns amassos que me deixou toda molhada ali mesmo.

– Como eu estava com saudades de você, minha delícia. -izia o gostoso do meu namorado, já com o pau duro, encostando-se em mim para que eu pudesse sentir aquele volume todo.

Só com aquele malho eu já tinha ficado louca de tesão. Fui arrastando o tarado para o meu quarto, porém, no ato que entrei, lembrei das minhas conversas bobagentas com a piazada e sem que ele percebesse minimizei a página, coloquei logo uma música eletrônica bem alta e joguei o gostoso na cama.

– Ahhh, seu safado, eu estava quietinha aqui e você veio me atentar, né?! Agora vai ter que aguentar e dar conta dessa sua putinha aqui, que está louca para engolir esse pau com a buceta.

Como fazia dias que não nos víamos, tinha muito tesão recolhido e muita porra acumulada pronta para ser liberada. Então, fui logo de boca naquele pau delicioso, que com seus avantajados 18 cm, quase me afogava.

Eu passava a língua na cabecinha cor de rosa daquela delícia de cacete e molhava minha boca com seu melzinho lubrificante que me deixava com mais água na boca ainda.

Enquanto o chupava, olhava para cima fazendo a maior cara de vagabunda. Dava beijinhos de leve em toda a extensão de seu pauzão e, com um sorrisinho maroto, engolia novamente sua pica.

O cachorro do meu namorado quase que não se aguentava de tanto tesão que sentia, se contorcia, segurava meus cabelos e empurrava minha cabeça em sua direção, tudo para sentir minha garganta na cabeça do seu pau e fazer de mim sua putinha.

Quanto mais eu chupava aquela delícia, com mais tesão eu ficava. Logo já me vi em cima dele, em posição de 69, intercalando os gemidos com as chupadas e os gritos de autoridade.

– Me chupa gostoso, seu safado! Mete essa língua na minha bucetinha melada, não era isso que você queria? Então, toma cachorro.

Falava e sentava na cara dele sem a menor delicadeza, rebolava em sua língua, fazia com que ela entrasse em minha buceta e sentisse todo o meu gosto e meu tesão.

Mas eu queria mesmo um sexo selvagem. Aquele gostoso continuou passando a língua no meu grelinho, colocava a língua dentro da minha buceta molhada e quente e com seu dedo indicador tocava um siririca da  mesma forma que um DJ toca sua CDJ .

Era tão gostoso que eu podia sentir subir um frio na espinha. Meu corpo tinha aqueles tremeliques de tão gostoso que estava aquela boca carnuda beijando meus lábios de baixo, chupando e lambendo toda sua extensão.

De costas mesmo, sentei vagarosamente naquele cacete, deslizando pedacinho por pedacinho, como se estivesse degustando a entrada dele na minha xoxota que estava inundada com meu licorzinho. E como boa escandalosa que sou, gritava e gemia sem pudor.

– Ai que pau gostoso! Me fode com essa delícia de pau, seu cachorro! Ah como eu adoro sentir esse cacete dentro de mim.

Ele me dava uns tapas na bunda, brincava com meu cuzinho passando o dedo na portinha e mandava eu continuar a rebolar em seu pau, subindo e descendo. Na velocidade cinco do créu, eu subia e descia deslizando naquele caralho molhado.

Alteramos de posição várias vezes e o safado me comeu de quatro, de lado, em pé, na cadeira, de todos os jeitos. Depois dessa maratona de posições, me deitei com as pernas arreganhadas e batia com a mão na buceta o chamando para enfiar seu pau em mim.

– Vai amor, vem socar esse pauzão em mim de novo, vem. Quero sentir ele lá no fundo da minha buceta e quero gozar gostoso juntinho com você. Sentir você despejando todo seu leitinho dentro de mim, bem quentinho.

E ele me pegava com gosto, rebolando e enfiando aquela delícia cheia de nervos em mim, cuspia na minha buceta e deslizava seu dedo em meu grelo que estava inchado de tanto prazer que eu sentia.

O gostoso fazia os movimentos de uma forma tão sincronizada que me levou à loucura, me fazendo gritar tão alto que toda a vizinhança deve ter escutado que eu estava tendo um dos melhores orgasmos da minha vida, subindo as paredes de tanto tesão.

– aaaaaai gostoso, que delícia, tô quase gozando nesse caralho. Vamos gozar juntinhos vamos? Vem pra mim delícia, me dê toda sua porrinha, encharca minha caverna úmida e escura com seu leitinho. Vem que eu quero tudinho, até a última gotinha.

E juntos conseguimos alcançar um dos melhores orgasmos da história do nosso relacionamento. Ambos gemendo, uivando, gritando, se amando, foi uma explosão de sentimentos, me vi aos céus por um instante. Momento esse que eu queria eternizar.

Após terminarmos aquela deliciosa metida, fui dar uma olhada no meu celular e vi que tinha várias chamadas perdidas de alguns dos meus amigos que eu conversava antes de meu namorado chegar. Foi quando me dei conta que havia deixado a webcam ligada durante todo o tempo e meus amigos assistiram tudo de camarote, a nossa transa louca foi um verdadeiro sexo online para eles.

No momento, não sabia onde enfiar minha cara. A vontade era de cavar um buraco e me enterrar para sempre, porém, logo taquei o foda-se, afinal, ninguém paga minhas contas…

Recebi muitos elogios por parte dos meus colegas. Eles diziam que eu transando até parecia profissional do sexo, pois fazia caras e bocas e tinha um pique de atriz pornô. Eles brincavam e diziam que eu estava perdendo de ganhar dinheiro.

Depois de algum tempo, resolvi então unir o útil ao agradável e seguir o conselho de um deles. Me tornei camgirl e hoje fico em um site onde faço sexo online e cobro por isso, e quando a galera pede para assistir uma transa louca, chamo o pauzudo do meu namorado para me comer bem gostoso na frente da webcam, deixando todos que assistem com água na boca.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *