Conto Erótico: Voo noturno

Eu não sabia o que era coisa de Mile High Club e que transar em um avião podia ser uma aventura e tanto, até poucos dias atrás.

No dia em que eu descobri, estava num aeroporto fazendo ponte aérea durante as minhas férias. Eu já tinha passado pela ala de segurança e estava sentada no terminal, esperando meu voo ser anunciado no painel para embarcar. Foi quando um rapaz sentou na poltrona da frente. Involuntariamente trocamos olhares e ele sorriu.

O cara era bonito, mas na hora não dei muita atenção, estava ocupada demais lendo meu livro enquanto tentava ficar atenta ao chamado no alto falante pra não perder o avião. De canto de olho eu percebi que ele se inclinou pra falar algo, mas bem na hora meu voo foi anunciado, levantei já pegando as malas e fui para a linha de embarque.

Aparentemente não havia muita gente fazendo aquela rota nessa noite e a maioria dos assentos estavam vazios. Lá pelas tantas, tudo estava silencioso e as luzes apagadas, eu estava sozinha no banco duplo quando aquele mesmo cara sentou do meu lado. Eu estava tão concentrada ouvindo o filme nos fones e lendo meu livro que tive que segurar um gritinho na hora que ele sentou.

Ele começou a rir da minha reação e soltou um “Calma, eu só queria conversar“. Meio sem jeito tirei os fones e parei pra prestar atenção no que ele queria falar. “Que livro você tá lendo?” ele disse, já curiando a capa. Dali o assunto desenvolveu até que ele pediu um beijo e bom, ele era bonito e sabia conversar, né, então não foi assim tão difícil.

Quando eu percebi, nossas bocas não tinham se desgrudado e ele já me puxava pra cima dele. Fiquei meio constrangida e tive que questionar, “estamos em uma avião, tem pessoas dormindo aqui!” e ele apenas riu e disse “e dai?“. Então eu acabei me deixando levar e sentei em seu colo.

As coisas começaram a esquentar cada vez mais e de repente eu já estava ajoelhada em frente ao assento o chupando, enquanto ele tentava controlar os gemidos e segurava meu cabelo. Em sua cara, aquela expressão de prazer como se me pedisse para abocanhá-lo ainda mais fundos.

Confesso que na hora o tesão e a adrenalina por causa da situação me fizeram perder aquele medinho de ser pega e o pudor. Quando então ele me puxou pra cima do banco, foi sua vez de se ajoelhar na minha frente. Eu precisei segurar o banco com as unhas e morder os lábios pra não emitir nenhum som, o que deixava ainda mais divertido e perigoso.

Quer ir pro banheiro?“, eu perguntei. “Eu quero você aqui“, ele respondeu ficando em pé e me pedindo pra eu sentar em seu colo. Eu segurei no banco e comecei a rebolar, enquanto ele segurava forte na minha cintura. Aos poucos a foda foi ficando mais intensa. Fomos variando as posições enquanto ele puxava meu cabelo, me apertava e arranhava. Até as tremidas que o avião dava de vez em quando ajudavam a deixar a transa gostosa.

Depois dessa noite, espero poder me tornar membra ativa do Mile High Club, porque foi realmente uma foda pra te levar à estratosfera.

Nunca mais vi o cara, nem mesmo sei seu nome, mas toda vez que tenho que pegar um avião, me decepciono por não encontrá-lo ali naquelas circunstâncias pra lá de gostosas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *