Arquivo da categoria: Contos Eróticos

Conto erótico: Roubei as calcinhas da gostosa pra cheirar

Há alguns dias minha vizinha viajou e pediu pra que eu ficasse cuidando do apartamento e do cachorro dela, pois ele não podia ser levado junto na viagem.

Eu topei, afinal, a porta dela é do lado da minha e eu podia cuidar do cachorro dela sem problemas. Outra coisa que ajudou foi o fato dela ser muito gostosa. Loirinha, com um belo par de seios, bundinha empinada, uma delícia. Não sei vocês, mas só de pensar na gostosa, eu imagino ela vestindo uma calcinha socadinha e isso me deixa louco.

Ontem quando voltei do trabalho, lembrei que precisava colocar comida pro cachorro dela e lá fui eu. Até então eu não tinha parado pra fazer isso, mas ontem decidi dar uma olhada no apartamento da gostosa e, claro, fui direto pro quarto.

Abrindo o guarda-roupas, comecei a vasculhar os cabides e gavetas até chegar na de calcinhas. E meus amigos, que gaveta gostosa. Tinham calcinhas de todos os tipos e a maioria eram como eu imaginava, minúsculas. Fio dental, rendinha, com veuzinho.. Caralho como eu queria poder ver ela usando aquelas calcinhas e poder arrancar elas.

Conto: o cheiro das calcinhas dela blog tevejo

Só de imaginar a gostosa usando uma daquelas calcinha fio dental socada na bocetinha, meu pau já ficou duro. Não resisti e comecei a cheirá-las, esfregando elas no meu rosto, imaginando que era ela.

Precisei ir pro banheiro e, claro, levei algumas comigo. Chegando lá, caralho, fiquei ainda mais feliz. Ela tinha um cesto de roupas sujas atrás da porta e, quando abri, bem em cima estava uma calcinha usada. Muita sorte. Comecei a esfregar ela no nariz e aquele cheiro da bocetinha da gostosa estava fresquinho, me deixando com a cueca apertada.

Abri meu zíper e botei o pau pra fora, começando a bater uma. Enrolei a calcinha limpa no meu pau, esfregando ela enquanto me masturbava e a suja, eu cheirava e lambia, imaginando que estava fazendo isso com a boceta da gostosa. Gozei gostoso na calcinha dela, imaginando que era dentro daquela loirinha. Que gozada, amigos.

Só sei que hoje vou fazer de novo. Espero que ela não dê falta dessas calcinhas quando voltar, hehe.

Por que as mulheres gostam mais de contos eróticos?

Quando falamos de consumir conteúdo adulto/pornográfico, sempre pensamos em homens assistindo filmes e coisas do gênero. Entretanto, mulheres também gostam e consomem esse tipo de produto, principalmente contos eróticos.

Essa prática é ótima e pode ser muito saudável, ajudando a melhorar a vida sexual da mulher. Então vamos explicar aqui as razões para as mulheres lerem mais contos eróticos que os homens.

Orgasm GIF

Incentivo à masturbação

Quem não gosta de dar uma brincada sozinha, né? E justamente pela maioria das vezes a masturbação ocorrer sozinha, entre você e seu corpo, que a imaginação é necessária. Ler contos eróticos estimula seu cérebro, que reage causando a excitação, pois querendo ou não, você acaba se imaginando dentro da situação ou apreciando.

Aflora seus desejos

Ler um conto pode ser um ótimo estimulante sexual, pois te envolve naquela aura sensual e isso pode te ajudar a descobrir novos fetiches e aflorar fantasias que você não sabia que tinha ou escondia. Também pode ajudar a mulher a entender e aceitar os fetiches e fantasias do parceiro.

Estimula o apetite e a vida sexual

A correria do dia a dia junto das atividades cansativas costumam fazer com que a mulher passe a deixar de lado o interesse por sexo. Ler contos eróticos é uma boa forma de manter esse interesse vivo, além de que, ler o conto acompanhada do parceiro pode ajudar a fazer o casal reacender a chama.

Inspira e entretém 

A variedade de contos que existem é enorme e tem para todos os gostos, onde você pode descobrir coisas que gostaria de experimentar na cama, além do próprio ato de ler que já é um hábito relaxante. Se for erótico, ainda melhor!

Que tal agora curtir os contos eróticos aqui do blog, sozinha ou acompanhada do mozão?!

Conto Erótico: Voo noturno

Eu não sabia o que era coisa de Mile High Club e que transar em um avião podia ser uma aventura e tanto, até poucos dias atrás.

No dia em que eu descobri, estava num aeroporto fazendo ponte aérea durante as minhas férias. Eu já tinha passado pela ala de segurança e estava sentada no terminal, esperando meu voo ser anunciado no painel para embarcar. Foi quando um rapaz sentou na poltrona da frente. Involuntariamente trocamos olhares e ele sorriu.

O cara era bonito, mas na hora não dei muita atenção, estava ocupada demais lendo meu livro enquanto tentava ficar atenta ao chamado no alto falante pra não perder o avião. De canto de olho eu percebi que ele se inclinou pra falar algo, mas bem na hora meu voo foi anunciado, levantei já pegando as malas e fui para a linha de embarque.

Aparentemente não havia muita gente fazendo aquela rota nessa noite e a maioria dos assentos estavam vazios. Lá pelas tantas, tudo estava silencioso e as luzes apagadas, eu estava sozinha no banco duplo quando aquele mesmo cara sentou do meu lado. Eu estava tão concentrada ouvindo o filme nos fones e lendo meu livro que tive que segurar um gritinho na hora que ele sentou.

Ele começou a rir da minha reação e soltou um “Calma, eu só queria conversar“. Meio sem jeito tirei os fones e parei pra prestar atenção no que ele queria falar. “Que livro você tá lendo?” ele disse, já curiando a capa. Dali o assunto desenvolveu até que ele pediu um beijo e bom, ele era bonito e sabia conversar, né, então não foi assim tão difícil.

Quando eu percebi, nossas bocas não tinham se desgrudado e ele já me puxava pra cima dele. Fiquei meio constrangida e tive que questionar, “estamos em uma avião, tem pessoas dormindo aqui!” e ele apenas riu e disse “e dai?“. Então eu acabei me deixando levar e sentei em seu colo.

As coisas começaram a esquentar cada vez mais e de repente eu já estava ajoelhada em frente ao assento o chupando, enquanto ele tentava controlar os gemidos e segurava meu cabelo. Em sua cara, aquela expressão de prazer como se me pedisse para abocanhá-lo ainda mais fundos.

Confesso que na hora o tesão e a adrenalina por causa da situação me fizeram perder aquele medinho de ser pega e o pudor. Quando então ele me puxou pra cima do banco, foi sua vez de se ajoelhar na minha frente. Eu precisei segurar o banco com as unhas e morder os lábios pra não emitir nenhum som, o que deixava ainda mais divertido e perigoso.

Quer ir pro banheiro?“, eu perguntei. “Eu quero você aqui“, ele respondeu ficando em pé e me pedindo pra eu sentar em seu colo. Eu segurei no banco e comecei a rebolar, enquanto ele segurava forte na minha cintura. Aos poucos a foda foi ficando mais intensa. Fomos variando as posições enquanto ele puxava meu cabelo, me apertava e arranhava. Até as tremidas que o avião dava de vez em quando ajudavam a deixar a transa gostosa.

Depois dessa noite, espero poder me tornar membra ativa do Mile High Club, porque foi realmente uma foda pra te levar à estratosfera.

Nunca mais vi o cara, nem mesmo sei seu nome, mas toda vez que tenho que pegar um avião, me decepciono por não encontrá-lo ali naquelas circunstâncias pra lá de gostosas.

Conto Erótico: Uma Foda para Recordar

Todo mundo tem aquela pessoa que te marca na cama. E eu tô falando daquela pessoa que não importa quanto tempo passe, você precisa confessar pelo menos pra si mesmo que já se masturbou algumas vezes recordando daquela foda.

E hoje vim aqui falar da minha pessoa. E caralho, que pessoa. Eu conheci ele num desses aplicativos aí de relacionamento e tudo começou com uma boa amizade.

Ele passou a frequentar a minha casa, víamos filmes juntos, bebíamos e falávamos merda, mas na hora de dormir, era cada um pro seu canto (eu no meu quarto, ele na sala). Até a noite em que ele veio bater na minha porta alguns minutos depois da gente se despedir.

“Eu queria te perguntar algo”, ele disse meio sem jeito, “eu posso te dar um beijo?”. Meu coração deu uma vacilada que fez meu corpo gelar. Eu, burra, desconversei. Disse que tava cansada, tinha que trabalhar cedo no dia seguinte. E me arrependo, porque eu devia simplesmente ter puxado ele pro meu quarto na mesma hora, se eu soubesse antes que ele ia se tornar “aquela pessoa”.

Alguns dias depois eu decidi convidar ele pra dormir na minha casa e ele prontamente disse sim. Naquela noite, estávamos deitados na minha cama ouvindo música e conversando. De canto de olho eu vi ele se aproximar e ali eu sabia que era vai ou raxa, agora ou nunca. E eu optei pelo agora. Bruscamente virei de frente pra ele, pondo a perna por cima da dele. Ele entendeu o recado, segurou minha bunda com força e me puxou pra mais perto. A gente começou a se pegar e ele tinha exatamente o beijo que eu gosto: molhado, intenso e com bastante língua.

E essa mesma língua, naquela noite fez o que nenhuma outra tinha feito antes. Não da forma como ele fez. Conforme a gente ia se pegando, fui ficando completamente arrepiada com a mão dele que sabia onde apertar, onde arranhar, onde segurar. E do oral, eu só lembro da sensações que aquela língua me causavam e que eu tremia, suava e gemia. Na minha vez de retribuir, gostava de ver ele se contorcendo e ouvir aqueles gemidos roucos. Isso me deixava cada vez mais excitada.

Na hora da foda, foi o ápice. A gente fez o máximo de posições que dava e minha cama aguentava, até eu pedir pra ficar de quatro. Ele agarrou meu cabelo por baixo, cravou os dedos no meu quadril e começou a estocar. Eu pedia pra ele me bater e ele batia, pra me xingar e xingava, e ambos gemiam alto de tanto tesão. Quando ele disse que ia gozar, pedi pra que fosse nos peitos. Aquilo excitou ele tanto, que começou a meter mais forte até pedir pra eu segurar meus peitos que ele ia gozar neles.

Foi uma foda inesquecível, que rala e rola eu lembro no chuveiro. E confesso que ainda guardo a foto que eu tirei dele me encarando enquanto me chupava, rs.

Conto erótico: O dia que ele me pediu um fio terra

Oi, pessoal! Tem um bocado de tempo que não mando meus contos por aqui. A vida anda agitada. Tenho feito mais sexo do que falado sobre. O que, no fim das contas, é bom. Ainda assim, hoje quero trazer uma situação que me foi meio chocante.

Não, não. Eu não faço e nunca fiz trabalhos de eletricista. Posso ser uma mulher elétrica, mas não sei mexer com força. Ou será que sei? O ponto é: conheci um gato que me pediu algo pra lá de diferente e hoje vou contar essa história.

Para começar, lá estava eu na academia nossa de todo dia. Corpo são, mente sã, já diziam os filósofos. Enquanto estava na bicicleta ergométrica bati os olhos em um baita de um homão da porra.

Continue lendo Conto erótico: O dia que ele me pediu um fio terra

Conto erótico do TeVejo — A alameda

Oi, gente! Estive sumida um tempo, mas voltei para deixar com você outro conto erótico bem safadinho hehehe

Conto erótico

A alameda

Sempre gostei do ar livre. Respirar em volta das árvores era um dos meus grandes hobbies. Mal começou o sábado e fui até o parque para aproveitar dos bons fluídos, porque em cidade grande esse é o mais perto que conseguimos de natureza.

Tá certo que o sábado pra mim não começa tão cedo, então já estava perto da uma da tarde quando finalmente tomei um espacinho para mim no meio do matinho urbano. Desisti faz muito tempo de chamar a galera para ir comigo. Sendo assim, comecei a conhecer pessoas naquele jardinzão público. Esta é uma das histórias onde encontrei alguém que jamais esquecerei.

conto erotico sexo ao ar livre

Continue lendo Conto erótico do TeVejo — A alameda