Amizade colorida, parte 2

Thiago Brava já cantou o lema: lei do desapego – pega, mas não se apega; porém, como fazer isso? Aqui vão algumas dicas para você tentar

E, como prometido, voltamos para falar de um assunto que pode ser considerada a mais nova febre e expressão de liberdade sexual já vista pelo ser humano e que, detalhe, vem virando mais frequente a cada dia que passa: a amizade colorida.

         Como já abordamos no outro post, o qual você pode conferir clicando aqui a amizade colorida, ou o famoso P.A (pinto amigo), pode trazer várias vantagens para ambos os amigos que, além da atração sexual, ainda conseguem viver de forma plena suas sexualidades por completo, porém, para que isso tenha benefícios e não somente dor de cabeça, é importante que os dois saibam tirar o melhor proveito dessa forma de amizade com sexo.

amizade colorida

         É isso que nós do maior site de chat com webcam do Brasil, o TeVejo, prometemos e hoje vamos cumprir. Vão aqui algumas dicas que podem te fazer ganhar o corpinho daquele seu amigo ou amiga, além de conseguir manter um tipo de relacionamento que, se todas essas dicas foram levadas em conta, só pode trazer coisas boas, além de um sexo casual, que, vamos concordar, não faz mal a ninguém, certo?!!

         Mas, se você ainda não sabe muito sobre o fuck buddys, é bom ler mais e pesquisar, porque o risco de se encantar com essa nova modalidade de relacionamentos é grande! Aproveite nosso post anterior e descubra as maravilhas que pode ser ter uma amizade colorida e, depois, confira as dicas a seguir para que ela não se torne um bicho de sete cabeças.

Emoções devem ser descartadas: o primeiro passo para dar certo é deixar bem claro para o parceiro (a) qual é a finalidade de tudo aquilo. Ser sincero e falar que “é só sexo” não mata ninguém e pode evitar problemas futuros, afinal, se não houver essa transparência, algum dos dois pode se deixar levar pela intimidade que o sexo gera.

         Por isso, descarte desde o início qualquer emoção que possa ser relacionada a um namoro, seja a confidência do casal ou as palavras de romance pós-sexo, afinal, uma amizade colorida surge justamente no momento em que nenhum dos dois queira se envolver sentimentalmente com outra pessoa. O esquema não é ser frio e ignorar o fato de que há intimidade, porém, ao deixar claro que essa casualidade não deverá levar a nada (e a lugar algum), essa troca de afetos já se torna obsoleta.

desapego na amizade colorida

         Ciúmes, por exemplo, encaixa muito bem nesse tópico. Ambos são grandinhos e sabem o que é essa amizade colorida, sabendo também que isso não inviabiliza o parceiro (a) a praticar sexo com outras pessoas, casualmente ou não.  Seu P.A te salvará naquele momento em que a única coisa que precisa é um bom sexo, mas, como não estão namorando, poderá se interessar por outras pessoas. Então, ciúmes é inviável, isso não é um namoro.

Desejo e descobertas de novos horizontes: como a amizade colorida conta, tão somente, com a atração física e sexual que há entre os parceiros, descartando qualquer hipótese de “me encantei pelos belos olhos dela”, a intensidade do sexo é puramente carnal, o que não é ruim, muito pelo contrário. É um sexo com desejo e, inevitavelmente, maior intensidade, sem aquele medo de procurar fazer tudo certo.

         Outro ponto válido é, vez que é só lance de físico, novas experiências podem ser bem vindas. Às vezes dentro de um namoro, aquela vontade louca de fazer um sexo no banheiro do bar pode ser meio esquecida, vez que além do carnal, o fato do sentimento leva (muitas vezes) a um comportamento mais controlado, comportado mesmo.

Então, aproveite seu sexo casual para vivenciar, de comum acordo, todas as experiências imagináveis pelos dois, mate suas curiosidades, aprenda de todas as formas possíveis e curta um sexo sem cobranças e compromisso.

Nada de laços de família: como a relação de vocês é puramente sexual, não tem nem porque conhecer a família dela ou dela, certo? Sim, certíssimo. Levar em um churrasco de domingo da família é coisa de namorado e torna o relacionamento, que antes nem deveria ser chamado assim, em algo mais sério, com torcida dos parentes a parte, além da tia-avó se metendo na data de seu futuro casamento.

         Para que essa relação dê realmente certo, a melhor coisa é manter somente entre vocês dois, não espalhando nem mesmo entre os amigos. Todos sabemos que, às vezes (quase todas elas) a pressão dos amigos pode também fazer com que você se sinta julgado (quando eles não entenderem o bem que o sexo casual faz) ou que você seja induzido a ver seu parceiro (a) com olhos de algo a mais (que não é o intuito).

         Com isso, lembrem-se sempre, quanto menos pessoas souberem, melhor. Explicações são chatas de dar e muita gente não vai nem compreender qual é a de vocês. Evitem.

Romantismo? De jeito nenhum: essa é mais óbvia impossível, mas não espere e nem faça programas românticos. Jantares a luz de velas, presentes surpresa no dia em que começaram a ficar ou mensagens carinhosas durante o dia estão terminantemente proibidos no manual dos que querem uma amizade colorida.

         O programa ideal é beber uma cerveja, restringindo o papo a coisas superficiais, sem entrar tanto na intimidade pessoal do parceiro, ou então, o clássico motel só para o sexo mesmo. Lembre-se, apesar de se chamar amizade, ela serve para o sexo mais do que para ombros amigos.

         Agora, apesar dessas dicas, vocês ainda correm um risco apenas: o de se apaixonarem. Se isso acontecer, volta ao tópico um e se atente a sinceridade, muitos relacionamento começaram dessa forma, com uma brincadeira entre amigos de sexo e duram muito mais, afinal, um já conhecia todos os gostos do outro antes mesmo de namorar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *